Totvs cria empresa de supermercados

Maurício Renner
// sexta, 23/03/2018 10:40

A Totvs acaba de criar uma companhia independente focada no mercado de supermercados, a BCM, comandada por Marcos Biazi, ex-diretor da área de supermercados da Totvs, criada em agosto do ano passado.

Marcos Biazi.

De acordo com a Totvs, a nova área foi “tão acertada, que a área ganhou corpo para consolidar um canal totalmente especialista no varejo e distribuição alimentar”.

Biazi era dono da RMS, uma companhia especializada no segmento de supermercados adquirida pela Totvs em agosto de 2013 por R$ 43 milhões.

A nova empresa será um canal independente, mas com o diferencial de contar com a “chancela Totvs”, explica a Totvs em nota, destacando que continuará a se responsabilizar pelo serviço prestado pelo canal.

“Participamos do roadmap de produtos e de diferentes ações internas, promovidas pela TOTVS, para mantermos a essência da companhia em todas as etapas do nosso contato com as empresas e garantirmos que não haja ruptura nessa comunicação”, explica Biazi.

No ano passado, a Totvs anunciou planos de investir até R$ 8 milhões em inovações para o setor supermercadista até 2020, plano que segue.

A empresa lançou uma oferta de self checkout e agora está evoluindo seu sistema de gestão para supermercados para um produto oferecido como serviço na nuvem com recursos de mobilidade.

O movimento de criar um canal independente a partir de uma empresa adquirida é atípica dentro da estratégia da empresa, que tem sido de unificação das diferentes tecnologias compradas sobre o guarda chuva da Totvs.

Provavelmente, a companhia quer ganhar mais agilidade para competir no mercado de supermercados, no qual a gigante de ERP não exibe um domínio similar ao que tem entre as empresas brasileiras como um todo.

Hoje, as 300 maiores redes vinculadas à Associação Brasileira de Supermercados são atendidas por 60 soluções diferentes, segundo um levantamento feito pela Consinco, uma das concorrentes da Totvs nessa área.

Quando adquirida, a RMS era um player respeitável na área, mas longe de ser a força dominante.

Fundada em 1991, em Barueri, a RMS tinha então 120 clientes em todo o Brasil e um faturamento de R$ 19,2 milhões.

Já a Consinco, por exemplo, falava em chegar aos R$ 55 milhões em 2016 e prometia uma estratégia de aquisições para 2017 que ainda não se materializou.

Outros players mais generalistas do mercado de ERP também estão se mexendo para entrar no ramo de supermercados.

Em 2017, a Senior adquiriu a Gôndola Sistemas, uma empresa especializada em supermercados de Blumenau.

Maurício Renner

Supermercadistas regionais crescem mais e consolidam relevância no setor

Os supermercados regionais e de médio porte apresentam taxas de crescimento superiores as das grandes redes e acima também da média do ramo. Alguns varejistas, como o Grupo Pereira, Muffato e Savegnago tiveram expansão no faturamento bruto de mais de 16% no ano passado, enquanto o setor cresceu 4,3%.

Os dados fazem parte do “Ranking Abras”, pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras) durante sua convenção anual. O levantamento mostra que, dentre as vinte maiores empresas de supermercados, a que mais cresceu em 2017, na comparação com os dados do estudo anterior, foi o Grupo Pereira.

A empresa, dona das marcas Comper, Fort Atacadista e Bate Forte, viu um avanço de 18,97% na receita bruta, que somou R$ 5,77 bilhões. Na sequência, em termos de maior expansão, ficou a rede paranaense Muffato, que cresceu 18,39%, atingindo um faturamento de R$ 6,012 bilhões e figurando na quinta colocação do ranking.

O cenário se repetiu com outras companhias do mesmo perfil – atuação focada em uma região e tamanho médio – analisadas no estudo. O Savegnago, por exemplo, cresceu 16,87% e os Supermercados BH, de Minas Gerais, 10,45%. De acordo com os dados da Abras, as duas maiores do País, Carrefour e Grupo Pão de Açúcar, apresentaram crescimentos bem inferiores, de 1,12% e 7,7% (veja mais no gráfico).

O melhor desempenho dos supermercados regionais é explicado, principalmente, pelo perfil de atendimento mais próximo do cliente e pela facilidade de entender melhor o consumidor local.

O estilo de atuação permite, dentre outras coisas, que as redes ofereçam um mix de produtos mais condizente com as necessidades da região. “Os supermercados regionais conseguem se adaptar mais rápido e entender melhor o seu consumidor. As grandes redes muitas vezes tentam padronizar tudo”, explica o diretor da consultoria GfK, Marco Aurélio Lima. “Temos visto um desempenho melhor desses supermercadistas nos últimos anos. Quem coloca o cliente no centro e entende o que ele quer acaba se saindo melhor e, quando se tem menos lojas, é mais fácil fazer isso de forma assertiva”, complementa a consultora de varejo da Nielsen, Ana Szasz.

Panorama

O setor como um todo registrou no ano passado faturamento bruto de R$ 353,2 bilhões, mostra o estudo da Abras. Comparado com os R$ 338 bilhões apurados em 2016, a alta foi de 4,3%, em termos nominais. “Foi um ano difícil, o desemprego e a perda de renda ainda afetaram o setor”, diz o presidente da entidade, João Sanzovo Neto.

Em relação a abertura de novas lojas, houve avanço, mas em um ritmo menor do que o registrado em 2016 e 2015. Segundo a associação, o número de pontos de venda cresceu 0,4%, para 89,3 mil. Em 2016 a expansão foi de 0,5% e em 2015 de 1,2%. Já em número de vagas, o avanço foi de 1,1%, na comparação interanual, para 1,822 milhões de empregos formais.

Rede de supermercados aposta no paladar exigente do curitibano

23 de Março de 2018 291

Para atender à crescente demanda por carne bovina premium, o Festval, em parceria com a JBS Carnes, traz para Curitiba, em primeira mão, a marca 1953. Composta por cortes oriundos de diferentes raças de origem europeia, a linha foi desenvolvida aliando a tradição na produção de carnes de qualidade com a mais alta tecnologia. O portfólio de produtos 1953 possui cortes com padronização e refile diferenciados como Baby Beef, Bife Ancho, Bife de Chorizo, Maminha, Bombom de Alcatra, Fralda, Picanha, Filé Mignon, Chuck Eye Roll, Steak de Picanha, Vazio, Shoulder Steak, Coração de Paleta e Costela do Dianteiro.
A novidade surge na capital paranaense num momento em que as carnes premium têm ocupado um espaço cada vez maior na mesa dos brasileiros. De olho no potencial deste nicho no varejo, o Festval quer facilitar o acesso do consumidor a esse tipo de produto. Para o diretor comercial do Festval, Carlos Beal, é uma honra ser a primeira rede em Curitiba a comercializar uma linha como a 1953.
“Sabemos da responsabilidade que temos de garantir uma logística e operação que atendam aos padrões de qualidade que um produto como esse exige e estamos certos que temos condições de fazer isso”, garante Beal. Segundo o diretor, a nova linha vem somar ao portfólio de produtos premium que a rede já oferece. “O curitibano tem um paladar exigente e procuramos sempre oferecer qualidade e exclusividade por meio de produtos que possam surpreender e conquistar o cliente, garantindo assim uma experiência diferenciada”, finaliza Beal.

Rede vai abrir 4 supermercados em Curitiba e RMC; 2 em antigos Mercadorama

As oportunidades fazem parte de um total de 700 vagas que serão oferecidas pela rede até o início de 2019

Raquel Derevecki e Fernanda Leitóles [23/03/2018]

A rede de supermercados Festval vai abrir quatros novas unidades em Curitiba e Região Metropolitana até o início de 2019. As novas lojas serão inauguradas nos bairros Rebouças, São Lourenço, e Jardim das Américas, em Curitiba. O quarto fica no bairro Alphaville, no município de Pinhais, na RMC. Para essas e as demais unidades, o Festval está com 700 vagas de emprego abertas.

O primeiro será o do Rebouças, na Avenida Silva Jardim com a Rockfeller, que deve ser inaugurado até o mês de agosto. Essa loja será instalada onde funcionava o Mercadorama. Outro Festval que será aberto em um antigo Mercadorama é o do São Lourenço, na Rua Mateus Leme, 4556.

Já a unidade Jardim das Américas vai funcionar onde anteriormente era a concessionária Servopa, na Avenida Comendador Franco (Av. das Torres). O último será o do Alphaville, em Pinhais, cuja construção começou de zero. A previsão é de que fique pronto entre novembro de 2018 e o início de 2019.

Nova loja

A obra na Avenida Silva Jardim iniciou na segunda quinzena de fevereiro e seguirá o padrão das três últimas lojas inauguradas pela empresa: a do Champagnat, Centro Cívico e Santa Felicidade. Além do layout mais moderno, o espaço ainda promete ser o primeiro da rede com um ambiente onde as pessoas consigam se alimentar dentro da loja.

De acordo com a assessoria da rede, essa é a tendência dos supermercados e deverá ser implantada nas demais unidades da marca. Essas reformas devem acontecer aos poucos e uma das primeiras unidades da lista será a do Água Verde, que deve passar pelas mudanças até o fim deste ano.

Empregos

De acordo com a rede, 700 vagas de emprego serão abertas em Curitiba e Região Metropolitana até 2019. Para visualizar a lista de vagas disponíveis, basta acessar o site da empresa. Entre as opções estão funções na liderança dos setores da loja, operador de caixa, promotor de vendas, padeiro, cozinheiro, açougueiro e confeiteiro. Algumas das oportunidades aceitam candidatos com ensino fundamental incompleto, enquanto outras exigem ensino médio e experiência na área.

Para concorrer, o candidato deve enviar currículo para o e-mail curriculum@superfestval.com.br. Também é possível preencher um formulário online e anexar o currículo pelo site. Não foi divulgada a quantidade de vagas oferecida para a loja do Rebouças, mas a empresa afirmou que já está efetuando as primeiras contratações.