Presidentes do GPA e Carrefour discutem novas expectativas dos consumidores

A primeira palestra do Congresso de Gestão, realizado durante a APAS Show 2018, reuniu grandes nomes do setor varejista para debater o tema “Como Preparar a empresa para o varejo do futuro”. Com mediação do Prof. Dr. Nelson Barrizzelli, da FIA – Fundação Instituto de Administração, o painel contou com de Peter Estermann, presidente do GPA; Nöel Prioux, CEO do Carrefour; e Walter Faria Jr, CEO do Grupo Martins e Conselheiro da Coca-Cola.

A integração das lojas físicas com o mundo digital foi o ponto mais discutido na palestra. De acordo com Estermann, conhecer os hábitos de compra dos clientes é extremamente importante para a integração dos canais e proporcionar uma experiência de compra diferente. “Com o lançamento dos nossos aplicativos do Extra e do Pão de Açúcar, por exemplo, temos condições de personalizar ofertas e melhorar, de forma extraordinária, a compra do nosso cliente”, comenta o executivo.

Nöel Prioux apontou que a opinião dos clientes nas redes sociais é um ponto forte para a companhia. “Quando visito uma loja, a primeira coisa que faço é ir no Google e ver o que pensam os clientes, e assim tenho uma primeira visão.”

De acordo com o CEO do Carrefour, a internet é uma ferramenta poderosa e os dados devem ser usados como estratégia de gestão. Na mesma linha, Walter Faria Jr. ponderou que é preciso aprofundar a jornada do shopper para surpreendê-lo no momento da compra.

Vendas do varejo paulista devem crescer 3,8% em maio

Maio 8, 2018 Vendas do varejo paulista devem crescer 3,8% em maio

Apesar de consumidores e lojistas ainda demonstrarem uma certa dose de cautela em relação à economia, as vendas do comércio varejista do Estado de São Paulo devem crescer 3,8% em maio, mês do Dia das Mães, atingindo R$ 53,4 bilhões. A projeção é da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e, caso se concretize, o varejo encerrará os cinco primeiros meses do ano com uma taxa acumulada de vendas 3,2% superior ao mesmo período do ano passado, que já apresentava avanço de 3,3% ante 2016.

O Dia das Mães é a segunda data mais importante para o varejo em termos de vendas, depois no Natal. Contudo, segundo a Federação, é praticamente impossível separar com exatidão as vendas decorrentes apenas da data comemorativa. Para uma maior precisão, a assessoria econômica da Federação isolou as atividades mais sensíveis ao consumo de bens ligados à comemoração, como a de vestuário; eletrodomésticos e eletrônicos; móveis e decoração; supermercados; e farmácias e perfumarias.

Considerando apenas essas atividades, a maior taxa de crescimento das vendas, em maio, deve ser registrada pelas lojas de móveis e decoração (8,5%), seguida pelas lojas de vestuário, tecidos e calçados (3%) e pelos supermercados (5,4%).

Em contrapartida, farmácias e perfumarias e eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos devem exibir leve queda de 0,9% e 1,0%, em relação a maio de 2017, respectivamente. Esse desempenho negativo ainda não preocupa, considerando que a primeira atividade vem de um longo ciclo de crescimento e a segunda, parece indicar um momento de acomodação ante uma trajetória contínua de resultados expressivos que permitiu ao segmento crescer 7% em 2017 e já acumular aumento real acima de 8% neste ano.

Dessa forma, o faturamento dos segmentos mais impactados pelo Dia das Mães tende a atingir R$ 31,3 bilhões no mês, alta real de 3,4%, o que representa cerca de R$ 1 bilhão acima do obtido em maio de 2017.

Para a FecomercioSP, o varejo tende a prosseguir dentro de sua trajetória de recuperação iniciada em 2017, mas de forma ainda gradual. Um crescimento mais expressivo vai depender fundamentalmente da melhoria contínua nos, ainda preocupantes, índices de desemprego, para que se viabilize o aumento da massa real de renda do País.

Clube Extra chega a 10 milhões de clientes

O Clube Extra, programa de fidelidade gratuito da rede Extra, chegou, em abril, ao marco de 10 milhões de clientes cadastrados na sua base de dados. Ao atingir esse número e com apenas três anos de vida, o Clube Extra passa a ser um dos maiores programas de fidelidade do varejo brasileiro. Hoje, aproximadamente metade de todas as compras realizadas nas lojas Extra (supermercados, hipermercados, Mini Extra, postos e drogarias) em todo o País são de clientes Clube Extra que se identificam com os seus CPFs no caixa.

Um dos aceleradores para o aumento de cadastros no programa foi a criação do aplicativo Clube Extra e da funcionalidade Meu Desconto, em junho de 2017, com o qual os clientes passaram a ter acesso a ofertas exclusivas e personalizadas, de acordo com o seu comportamento de compra nas lojas Extra. Além disso, o aprimoramento do app também colaborou para esse marco: em março deste ano foi lançada a funcionalidade Meus Prêmios, que consiste em desafios mensais, que, quando alcançados, dão direito a troca por prêmios como vales-compras, produtos grátis nas lojas e vouchers de diversas empresas parceiras. O aplicativo já ultrapassou três milhões de downloads.

Consumidor que encontrar produto vencido em supermercado terá direito a item gratuito

Assessoria
Publicação: 03-05-2018, 07:43

Consumidores que encontrarem produtos vencidos em supermercados paranaenses poderão ter o direito a receber, de graça, item similar, dentro do prazo de validade. O benefício está previsto em termo de ajuste de conduta firmado entre a Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de Curitiba e a Associação Paranaense de Supermercados (Apras).
O documento, assinado dia 27 de abril, busca resgatar a campanha "De olho na validade", iniciativa da própria Apras que havia sido encerrada há alguns anos. A iniciativa deve estar valendo nas próximas semanas.
Com o TAC, ficou definida a retomada da iniciativa, mas com alguns ajustes. Pelas regras atuais, se o cliente achar até nove caixas vencidas, ganha uma na validade. Acima deste número terá direito a receber 10% do total de produtos vencidos encontrados, respeitado-se o mínimo de um produto. Por exemplo: se encontrar dez caixas de leite vencidas, recebe uma caixa de leite. Para 20 caixas, duas, e assim por diante. A troca deve ser feita antes da pessoa sair da loja, devendo-se procurar a gerência ou similar e indicar a localização dos produtos vencidos. No entanto, a medida só vale para empresas filiadas à Apras.

Frutas e verduras ficam mais caras nos mercados do Distrito Federal

Levantamento feito pelo Correio durante a semana compara itens frequentes no carrinho do consumidor

AP Andressa Paulino*
postado em 05/05/2018 07:00

Os consumidores que pensavam aproveitar as promoções de fim de semana para comprar hortifrutigranjeiros não vão economizar muito nas compras. Isso porque as frutas e as verduras ficaram mais caras nesta semana, segundo levantamento realizado periodicamente pelo Correio. Entre os itens que tiveram aumento, o destaque foi a batata inglesa, que tem preços até 76% acima do que era cobrado na semana passada.

Também estão mais caros o tomate, que não pode ser comprado por menos de R$ 4,99 por quilo, a banana, encontrada nos supermercados por até R$ 3,99, e a cebola, que está com preços variando de R$ 4,99 a R$ 7,49.

Segundo o educador financeiro Jônatas Bueno, mesmo com preços altos, é possível economizar nos itens do dia a dia. “O bom desse tipo de alimento é que temos variedade quanto ao estabelecimento em que vamos comprar. Por exemplo, se eu vejo que as verduras estão mais caras no mercado que costumo frequentar, tenho a opção de comprar em verdurões e feiras livres”, explica. “O grande número de estabelecimentos que oferecem esse tipo de produto permite que possamos obter uma boa economia para o bolso.”

A substituição de produtos também pode ser uma alternativa. “Existe uma grande variedade de hortifrutigranjeiros. Então, caso tenha um item muito caro no supermercado, posso substituí-lo por outro ou mesmo deixar de consumi-lo no momento”, aconselha Bueno.

Vendas

Mesmo com a alta de diversos produtos, o primeiro trimestre de 2018 foi positivo para os supermercadistas. O setor registrou crescimento de 2,28%, o maior resultado acumulado no período desde 2013, segundo apuração do Departamento de Economia e Pesquisa da Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

* Estagiária sob supervisão de Odail Figueiredo

Braskem, Embalixo e Pão de Açúcar unem-se em processo de reciclagem

A Braskem e o Pão de Açúcar, associados da Aberje, e a Embalixo vão produzir novos sacos para lixo utilizando materiais plásticos descartados pelos clientes nas Estações de Reciclagem Pão de Açúcar Unilever e sacarias industriais anteriormente utilizadas pela Braskem na entrega de suas resinas. A parceria faz parte da plataforma Wecycle, criada pela petroquímica, para valorização de resíduos plásticos na cadeia produtiva.

Após serem triturados e transformados em resinas recicladas, os materiais descartados serão utilizados para a produção de uma linha premium de sacos da Embalixo, a  Embalixo com Alças, que leva o selo “Plástico Reciclado. Ciclo Consciente”. Os produtos passam a ser comercializadas em todas as lojas do Pão de Açúcar. “Encontrar soluções que completem o ciclo de descarte de embalagens pelos nossos clientes foi uma preocupação do Pão de Açúcar na formatação desta parceria. Por meio do trabalho de cada agente envolvido, conseguiremos levar aos clientes um produto feito por materiais plásticos descartados por eles mesmos reforçando, assim, não apenas a importância ambiental do processo de reciclagem, mas também a econômica”, explica Thays Rosini, gerente de Sustentabilidade do Pão de Açúcar.

A Embalixo, que comemora oito anos de parceria com a Braskem, acredita que nos próximos três anos 70% de seus produtos contarão com matéria-prima reciclada ou oriunda de fonte renovável. “Ao trabalhar com a Braskem, reforçamos o nosso compromisso com a sustentabilidade. E, claro, engajando também os nossos consumidores a assumir essa responsabilidade de a cada dia termos produtos de qualidade e sustentáveis”, comenta Rafael Costa, diretor comercial da Embalixo. “Essa parceria é mais um exemplo da atuação da Braskem, que utiliza a inovação a serviço de soluções sustentáveis. Queremos a cada dia desenvolver negócios e iniciativas para a valorização de resíduos plásticos por meio de parcerias como a com a Embalixo e o Pão de Açúcar, reforçando o nosso compromisso com a cadeia do plástico e com a economia circular”, Fabiana Quiroga, diretora de área de Reciclagem & Plataforma Wecycle da companhia.

As Lojas do Pão de Açúcar abaixo contam com pontos de coleta de resíduos recicláveis apoiadas pela Embalixo Wecycle:
Brigadeiro Luiz Antonio, 3126 Gabriel Monteiro da Silva, 1353 General Osório 1844 Rua Maranhão, 846 Av Marcos Pent Ulho Rodrigues, 3436 Rua Joaquim Floriano, 24 Ibirapuera, 1770 Praça Panamericana 217 Ibirapuera 3068 Madeira, 152 Rua Serra de Braganca, 647 Major Sylvio de M. Padilha, 6118 Rua Clodomiro Amazonas, 995 Av José Maria Whitaker, 600 Av Doutor Altino Arantes,268 Av Aprovada, 329 quadra c, lote 1 Rua Bairi, 435 Maria Amália Lopes de Azevedo, 842 Rua Abílio Soares, 386 Rua Carneiro da Cunha, s/n

Wecycle – A plataforma Wecycle da Braskem foi criada com o objetivo de fomentar negócios e iniciativas para a valorização de resíduos plásticos pós consumo e desenvolvimento da cadeia de reciclagem.

Compras feitas em atacarejo podem economizar até 40% do orçamento doméstico mensal

Itens da cesta básica alimentar como, por exemplo, carne, leite, feijão, arroz, farinha de trigo, batata, tomate, pão, café costumam apresentar preços mais baixos que os dos mesmos produtos vendidos em hipermercados e supermercados

4 maio 2018 – 14h04da Redação com Assessoria

Em tempos de crise, consumidores que fazem as compras do mês têm procurado cada vez mais os atacarejos em busca de melhores preços e mais quantidade. Conforme Aguimar Santana, gerente comercial do Fort Atacadista Coronel Antonino, “muitas vezes o orçamento familiar é apertado e para driblar isso, várias pessoas tendem a economizar e por isso veem nos atacarejos uma boa alternativa para o bolso”.

Santana conta que há uma diferença significativa de preços se comparados os valores gastos em compras mensais realizadas em atacarejos e em supermercados. “Às vezes há uma economia de até 40%”, ressalta Aguimar.

O técnico administrativo Alexandre de Brito, 36, e a gerente administrativa Jeane Melo da Silva Brito, 37, são casados e há três anos adquiriram o hábito de fazer compras em atacarejo. “Aqui encontramos os mesmos produtos vendidos nos supermercados, mas em quantidades maiores e melhores preços. Nossas compras do mês só fazemos em atacarejo”, destaca o casal, cliente do Fort Coronel Antonino.

Itens da cesta básica alimentar como, por exemplo, carne, leite, feijão, arroz, farinha de trigo, batata, tomate, pão, café, banana, açúcar, óleo, costumam apresentar preços mais baixos que os dos mesmos produtos vendidos em hipermercados e supermercados. É justamente isso que a bancária Elaine Lopes, 46, e o professor Eduardo Marques, 54, sentem no bolso quando fazem as compras do mês no atacarejo.

Os dois são casados e costumam levar Dirce Marques, 78, mãe dele, às compras no Fort Coronel Antonino. “Além dos preços menores e maior quantidade de produtos, geralmente os atacarejos possuem espaços amplos com corredores largos e assim é mais confortável fazer as compras”, detalha Elaine.

No caso de frutas, por exemplo, os preços dos atacarejos e supermercados apresentam diferença de até R$ 3,00 no quilo, dependendo da ocasião. “Acaba que nas compras feitas em atacarejo chegamos a economizar de a 20% a 30% a mais do que se fizermos as mesmas compras em supermercado”, conclui Eduardo.

Grupo Pão de Açúcar mantém otimismo com as vendas do multivarejo

Reuters São Paulo – O Grupo Pão de Açúcar vê uma tendência positiva para as vendas do multivarejo após uma série de ajustes nas operações das bandeiras Extra e Pão de Açúcar, que segundo executivos da companhia já refletem no desempenho de março e abril e contribuíram para a retomada da liderança no setor.

“Após um início de trimestre difícil no multivarejo, vimos sólida recuperação de vendas em março e essa tendência continua sendo observada em abril, o que nos deixa confiantes na retomada do negócio”, afirmou o diretor vice-presidente de Finanças do GPA, Christophe José Hidalgo, em teleconferência com analistas sobre os resultados do primeiro trimestre.

Na véspera, a companhia anunciou lucro líquido consolidado de R$ 226 milhões entre janeiro e março, superando em 7,8% o resultado do mesmo período de 2017, com alta de 7,5% na receita líquida total, para R$ 11,34 bilhões.

“Decisões bastante acertadas nos levaram a retomar a posição de maior varejista alimentar do Brasil…estou convencido de que essa liderança vai se diferenciar mais daqui para frente”, disse Ronaldo Iabrudi, que a partir dessa sexta-feira deixa a presidência-executiva do GPA para Peter Estermann, passando ao cargo de vice-presidente do conselho de administração da empresa.

Em 13 de abril, a Reuters noticiou que o grupo controlado pelo francês Casino havia novamente encostado no rival Carrefour Brasil, que até o final de 2017 liderava o ranking da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) de maiores empresas supermercadistas do País.

Segundo Hidalgo, o desempenho positivo do GPA no primeiro trimestre reforça a expectativa de crescimento de vendas mesmas lojas alinhado à inflação no multivarejo, e acima da inflação no Assaí.

Em seu primeiro dia como presidente-executivo, Estermann adiantou que o grupo vem trabalhando em uma revisão do formato Extra Super, cujos detalhes devem ser anunciados no terceiro trimestre.

“Estamos conduzindo diferentes frentes…mas é no Extra Super que vemos mais oportunidades e para onde direcionamos mais esforços para reversão do negócio”, explicou o diretor-executivo da bandeira Extra, Alberto Calvo. Ele acrescentou que a empresa está reformulando o mix de produtos e o modelo de operação no curto prazo, e iniciando um projeto piloto em 20 lojas com foco regional no médio prazo.

No caso do Pão de Açúcar, o GPA seguirá “a todo vapor” com a reforma de lojas, buscando manter os ganhos de participação de mercado e rentabilidade elevada, disse Marcelo Bazzali, diretor-executivo da bandeira.

No segmento de formatos especiais, incluindo as lojas Extra Mini e Minuto Pão de Açúcar, assim como postos de gasolina e drogarias, a empresa já começa a colher os resultados de revitalizações e trabalhos para melhoria em infraestrutura, com alta tanto em fluxo de clientes como em vendas, de acordo com diretor-executivo, Frederic Garcia.

Assaí – Para o atacarejo, que conforme Iabrudi cresceu mais de três vezes em representatividade dentro do GPA, a expectativa é de manutenção do forte desempenho observado no primeiro trimestre, marcado por salto de 25,2% na receita líquida.

“Temos projetos já em andamento para que o Assaí consiga manter crescimento”, comentou o diretor de negócios de atacado, Belmiro Gomes, citando novas políticas de mix e produtos e atividade e relacionamento com cliente pessoa jurídica.

Na avaliação dele, a deflação dos alimentos foi o “grande desafio” para o atacarejo no primeiro trimestre e só se espera alívio dos efeitos a partir do segundo semestre.

Reunião Aberta na Baixada Santista abordou temas como a atuação do Procon nos supermercados

A Regional Baixada Santista realizou mais uma Reunião Aberta aos associados, sempre com foco em oferecer aos supermercadistas novos conhecimentos, além da possibilidade de trocar ideias e sanar dúvidas com os profissionais da Associação.

O encontro, que teve patrocínio das empresas Marquespan e Escudo Real, abordou temas como “câmaras frias” e atuação do Procon nos supermercados.

Calendário completo de eventos na APAS, que inclui as Reuniões Abertas na Regionais e Distritais: http://www.portalapas.org.br/calendario/.

Comercial Zaffari entre os maiores

Publicada em: 26/04/2018 – 09:20

Empresa de Passo Fundo é a 4ª maior rede de supermercados em faturamento do Rio Grande do Sul.

Em cerimônia que contou com mais de 750 convidados, a Comercial Zaffari foi agraciada na noite desta terça-feira, 24 de abril, em Porto Alegre, com o prêmio Ranking Agas 2017, o maior e mais reconhecido evento do setor varejista de supermercados do Rio Grande do Sul. A Comercial Zaffari alcançou o 1º lugar em crescimento anual na categoria: Faturamento de R$ 500 milhões a R$ 1 bilhão. No entanto, o que mais se destaca é que a rede, que nos últimos dois anos ocupou a 7ª posição entre as maiores do estado, neste ano passou a ser a 4ª maior rede de supermercados em faturamento do Rio Grande do Sul. O Ranking Agas 2017 contou com a participação de 226 empresas de supermercados estabelecidas no Rio Grande do Sul, com faturamentos anuais entre R$ 215 mil e R$ 5,6 bilhões. É elaborado desde 1991 pela entidade e, desde 2010, culmina em uma festa de premiação às companhias supermercadistas que mais cresceram, ou que mais se destacaram por boas práticas de gestão, em todo o Estado. A intenção, assim como nas últimas nove edições do prêmio, foi reconhecer o trabalho das empresas que mais cresceram no setor distinguindoas em nove diferentes categorias – o critério desta divisão são as faixas de faturamento. De acordo com o diretor administrativo da Comercial Zaffari, Sergio Zaffari, a empresa recebe com satisfação o prêmio. “É com grande entusiasmo, que este reconhecimento nos é dado. Gostaríamos de dividi-lo com todos os nossos colaboradores e clientes. Isso tudo é reflexo do bom desempenho e da dedicação de nossos colaboradores. Nosso desejo é estar sempre entre os primeiros” – afirma. A Comercial Zaffari completa em 2018, 61 anos com o total de 11 supermercados da bandeira Comercial Zaffari e 8 lojas no formato de atacarejo com a bandeira Stok Center. Ainda este ano, a empresa irá inaugurar mais uma loja da bandeira Comercial Zaffari em Passo Fundo, e uma loja da bandeira Stok Center em Santa Maria – esta que será a maior loja da rede no segmento. Além disso, a empresa está em plena expansão, com projeto de novas lojas para 2019.